Senta que lá vem história

No último domingo, aproveitando a ocasião de celebrar o aniversário de Porto Alegre, fui à Redenção (oficialmente Parque Farroupilha) conferir os shows bizarros e legais que por lá rolavam. O palco foi montado ao lado do arco, com o público ficando embaixo do sol que rachava. Na verdade, todos se aglomeravam debaixo de sombras que algumas árvores e o próprio arco geravam, naquele calor portoalegrense de 30°C.

Chegando ao local, não pude deixar de pensar – além do calor – na história que aquele lugar traz. Parece estranho isso em se tratando de um simples parque em Porto Alegre, entretanto nessas férias fiz uma pesquisa (não formal, mas movida pela curiosidade) sobre a Porto Alegre do início do século XX. A exposição permanente no Museu Joaquim Felizardo atiçou muito da curiosidade, além de alguns causos com que que volta e meia  me deparava na internet.

Uma das histórias que mais me chamou atenção foi a do surgimento do Parque Farroupilha. Antigamente uma simples várzea, o atual local do parque começou a ser utilizado como centro de exposições, tendo a maior importância na Exposição do Centenário da Revolução Farroupilha (1935). Considerada uma das maiores exposições do Brasil na época, ela contava com pavilhões de quase todos os estados brasileiros, até pavilhão nazista (curioso não? Lembrem-se que na época o Brasil flertava com ideais parecidos com Hitler e cia. – dá-lhe Estado Novo), cassino, entre outras atrações. Para a exposição foi construída boa parte da estrutura que vemos hoje no local: lago, arco, alameda…

Enfim, um pouco de história sobre o lugar que hoje serve de ponto de encontro para tomar um chimas com a gurizada.

expcentenarioexpcentenario2

Anúncios

2 Respostas para “Senta que lá vem história

  1. Marcelo Figueiredo Duarte

    Num dos cantos obscuros e pouco freqüentados do parque tem uma pilastra de granito toda gasta na qual estão registrados os 4 nomes que a Redenção já teve. Uma vez eu estava vagando por ali e, de curiosi, os li:

    Campos da Várzea do Portão
    Campo do Bom Fim
    Campo da Redenção
    e finalmente, Parque Farroupilha.

    Legal que ele é Parque Farroupilha desde 1935 e todo mundo ainda chama de Redenção.

  2. Mas bah, tchê !! Gaúcho que se preze tem que, de vez em quando, dar uma futricada nas suas raízes. E isso é ótimo. A “Redença”, tri pra se tomar uns chimas, tem recantos lindos. Não diria, como me disse o paulista uma vez, que é o Ibirapuera dos gaúchos. Os parques são distintos em suas propostas mas ” que cosa bem boa, tchê, um parque na cidade”. Todas deveriam ter o seu !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s